Kerala | Índia


Olá,

Bem vindos a “Incrediable India”

Um lindo texto para introduzir um pouco da “Incrível Índia” antes de iniciar mais um quintal extraordinário e bem diferente de tudo. 

“Todos querem um pedaço da Índia. Das invasões arianas, afegãs e persas até a era britânica, povos de terras distantes tentaram se apoderar dos tesouros da Índia. Mas algo engraçado sempre acontece: a Índia se apodera desses forasteiros e os transforma em indianos. Desafiando a doutrina do antagonismo entre “eles”e ”nós”, a Índia tece raças, culturas e filosofias formando uma tapeçaria que se torna mais rica e intrincada a cada dia. Para conhecer a Índia, é preciso partilhar suas tristezas, seus sonhos, suas aribulações e a alegria quase insuportável de mais de um bilhão de irmãos. Nada tema: a Índia fará de você um dos seus filhos, também.” (Lonely Planet) 

A CAMINHO DA ÍNDIA

Ainda no aeroporto do Sri Lanka nos despedimos do Esky e desejamos boa viagem a ele, que também estava indo para a Índia só que para o estado de Chennai, e nós para Kerala, estado esse localizado  no extremo sul do país, há somente 45 mim de avião de Colombo (Sri Lanka).

Na hora do embarque aconteceu um fervor de Indianos quando a aeromoça anuncio a chegada do voo. De repente todos se levantaram e ficaram apostos na porta de embarque, um por cima do outro, se espremendo e se apertando na entrada. O melhor de tudo é que ninguém se estressava eles só queriam garantir seu acento no avião..rs! Nunca havíamos presenciado tal cena!

Quando entramos no avião, nosso acento já estava ocupado por dois senhores Indianos, a aeromoça deu um jeitinho e encontrou o verdadeiro acento deles. Quando o avião pousou antes mesmo de parar, metade dos indianos já haviam se levantado, pego suas bagagens e estavam todos nos corredores da aeronave aguardando o avião estacionar. Nos lembrou um pouco o Brasil, só que com muito mais tumulto…rs!

CHEGANDO EM SOLO INDIANO

Na saída do aeroporto fomos recepcionados por uma multidão de homens de saias e mulheres de saris (vestimenta) que nos deram as boas vindas com olhares curiosos! Vimos também um modelo de carro antigo da década de 50, sendo utilizados como taxi e também como transporte pessoal. Bem Interessante!

Carros dos anos  50 em perfeito estado, mulheres de saris e longos cabelos! Marca registrada das indianas.

Chegamos na Índia em pleno feriado, era o dia da morte do grande e respeitado Mahatma Gandi. Nesse dias ele fazem grandes limpezas na cidade, nas casas, canteiros, praias, ruas e tudo o mais que tiver precisando limpar e organizar. Porém não vimos nenhuma tipo de coleta seletiva, tudo é simplesmente queimado (papel, plástico, folhas e etc..). Esse é considerado o Dia Nacional da Limpeza. Também deveria ser chamado Dia Mundial da Poluição.

KOVALAM BEACH

Pegamos um taxi e seguimos para Kovalam Beach. Famosa por suas belas praias, ondas, spas, resorts, medicina ayurveda, Yoga e muito artesanato. O taxista nos deixou em uma rua com várias pousadas e hotéis. Como sempre não havíamos reservado nada e mais uma vez encontramos um hotel bem gostoso, que acabara de ser inaugurado. Fomos recepcionados por um simpático senhor de nome Corela, que nos mostrou nosso quarto com uma linda vista da varanda, cercada de coqueiros e pássaros.

Rua em Kovalan, Corella e vista do nosso quarto!

Kovalam tem praias de areias brancas, douradas e negra. A principal praia é a Lighthouse Beach, por ter um belo farol no canto esquerdo, em cima das pedras e cercado de coqueiros. Além do mais a praia tem bastante barcos pesqueiros, indianos “homens” usando saia, passeando de mãos dadas e abraçados com outro indiano “homem”. Essa também é a praia das ondas, e considerada a melhor onda do país, pois depois do Tsunami o governos colocou sacos de areia no fundo do mar para conter o assoreamento da praia. Com isso criou sem saber uma bancada que dizem era perfeita quando colocaram, mas agora não está mais como antes.

Orla da praia, barco pesqueiro, indianos de mãos dadas de saia e farol!

COMIDAS e DOR DE BARRIGA

A orla da praia é forrada de lojas e restaurantes. Em nosso primeiro dia decidimos provar um de frente para o mar e pedimos arroz de coco, frango ao estilo thai e frango massala (tipo de molho que se mistura muitos condimentos indianos). Nossa!!! Veio muita comida! Porém foi o melhor arroz com coco que já comemos na vida, o Ro gostou tanto que pediu mais outro! Passamos o restante do dia na praia.

Almoçando curry e arroz de coco de frente para a praia!

No começo da noite caminhando pela orla, vimos uns carrinhos na calçada vendendo milho cozido e grão de bico com vegetais, o cheiro estava muito bom, então resolvemos provar! Definitivamente estava muito saboroso, o milho estava doce e o grão de bico suculento. O problema foi durante a noite, minha cabeça começou a rodar, a barriga ficou dura e a vontade de vomitar ainda maior. Conclusão! Minha primeira semana foi literalmente na cama e no banheiro. Eu passei muito mal, fiquei com febre beirando os 40 graus, dor no corpo e ainda indo no banheiro sem parar. O Ro ficou só com dirréia. Que semana terrível, grão de bico no carrinho nunca mais! Depois de curados, estávamos prontos para aproveitar nossa estadia em Kovalam.

YOGA e MEDICINA AYURVEDA

Optamos pelo estado de Kerala e pela praia de Kovalam, por ser muito rico em Yoga e medicina Ayurveda. Eu queria sentir na pele uma aula de Yoga no local de origem, queria ver e aprender muito mais. Para isso precisava encontrar um professor real e não farsantes (eles estão em todos os lugares).

Procuramos bastante, até que caminhando em uma rua transversal à orla da praia, encontrei um professor, a primeira vista me pareceu honesto e tranquilo. Perguntei valores e o estilo a ser praticado na aula e decidi experimentar.

A primeira aula foi marcada para as 6h da manhã. Fazia tanto tempo que não praticava, que eu estava dura e enferrujada, porém, com o passar da hora, praticando os asanas (posturas)e uma boa conversa, a aula deslanchou e foi riquíssima em ensinamentos. Desse dia em diante pratiquei por 10 dias com o mesmo professor, foi excelente, aprendi muito! Minha vontade era de passar um tempo em um ashram (escola de Yoga), mas minhas dores nos joelhos e cotovelos estavam me matando. Mais uma decisão difícil na viagem, tive que parar o Yoga.

Indo praticar YOGA!

O Ro em sua busca para curar a coluna, optou por um tratamento de 12 dias em uma clínica de medicina Ayurveda. Alí ele passou por processos de desintoxicação, chamado Panchakarma (Pancha = cinco e Karma = tratamento): massagens com óleos, sauna, banhos com ervas, limpezas internas e muitas outras coisas. Ele me dizia que sempre saía do tratamento se sentindo melhor! Por causa do tratamento, ele teve que para de comer carnes durante o processo de limpeza e só podiámos comer em restaurantes vegetarianos. Eu confesso que amei a experiência.

AYUSHYA, Panchakarma!

COMIDAS TRADICIONAIS!!!

Durante as semanas que passamos em Kovalam, provamos muitos restaurantes e diverso pratos tradicionais do sul da Índia. Gostamos tanto do restaurante Subhrapanam  que elegemos o mais gostoso de Kovalam, com uma deliciosa comida e um excelente tratamento, nos levaram até para conhecer a cozinha e nos ensinaram a preparas as famosas Dhosas (panqueca a base de arroz e lentilha fermentados por 24h), um prato tradicionalíssimo do sul da Índia. Outros pratos que adoramos foram: Idli (bolinho de arroz e lentilha cozido no vapor, acompanhado com leite de coco e Sambar); Egg Byriani (arroz misturado com canela, cravo, cardamomo, folha de curry, cebolas, pimentas e ovos, as vezes) esse tinha ainda variações de carne, frango, peixe e vegetais; Currys de vegetais, para os indianos tudo que está banhado em um molho oleoso é um curry, não tem nada haver com os nossos currys em pó no Brasil, comíamos sempre currys de vegetais como (abóbora, feijão, lentilhas, berinjelas e muitos outros). Também sempre comíamos em uma vendinha local, onde um casal de senhores preparava nosso omelete com óleo de côco, cebola e pimenta do reino, nesse éramos clientes fieis! Tudo muito gostoso e as vezes apimentado!

Restaurante Subhapranan, berinjela ao molho de curry, vegetais ao molho Khurma e Idli!

ESPECIARIAS DA ÍNDIA

Kovalam é repleta de frutas tropicais e especiarias. Sempre compravamos banana, laranja, mamão, melão, melancia, romã, que por sinal era uma delícia, coco seco, amêndoas, tâmaras, uva passa, castanha de cajú, cacau em pó, canela em pó e aveia, tudo nos mercados locais. Aqui vende-se todos os tipos de ervas, condimentos e pimentas, sendo também muito comum encontrar vendedores de cardamomo, cravo da índia, açafrão e dezenas de sabores de chás (verde, preto, chai, masala, etc..).

Especiarias em todos os lugares!

FALTA DE ENERGIA e QUEIMA DO CARREGADOR DO MACBOOK

Parece karma, como diz os Hindus, mas em toda nossa viagem em algum momento tivemos algum problema com eletrônicos, em geral computadores. E mais uma vez ficamos na mão e tivemos que esperar.

Em Kovalam todos os dias e duas vezes ao dia faltava energia durante 30 min, estratégia do governo para economizar energia, pois não havia chovido o suficiente durante o período das chuvas para encher os reservatórios, e aqui a energia é gerada por hidrelétricas como no Brasil. Em um dos “apagões” aconteceu um grande estouro na tomada que o carregador do MacBook estava ligado. Levamos um susto e tiramos o plug na hora, porém foi tarde de mais, já havia queimado o cabo o carregador. Conclusão, tivemos que ir até a cidade de Trivanadhum e encomendar outro carregador, o que resultou em uma espera de uma semana sem eletrônicos, pois os indianos não usam muito a Apple e é difícil encontrar peças para pronta entrega.

NISSAR, NOVO AMIGO INDIANO

Nesse meio tempo já havia se passado quase um mês na Índia e por diversas vezes passamos em frente de uma loja de decoração e sempre um senhor simpático nos convidava para entrar e tomar um Chai (chá preto com leite e açúcar), até que um dia resolvemos conhecer a loja e degustar o famoso chai. Conversamos, compramos algumas sedas e a partir desse dia eu (Pri) voltei por diversas vezes para tomar chai e conversar com Nissar. Aqui aprendi a fazer colares, conheci muitos tipos de pedras e também sobre a cultura muçulmana. Nissar é mulçumano! Foi uma excelente experiência.

Nissar em sua loja, seu maravilhoso chai e vestida de sari!

NISSAR e família!

De tanto eu ir na loja, viramos amigo e eu e o Ro fomos convidados para degustar um almoço muito especial na casa de Nissar com toda sua família (esposa e 3 filhas). Chegamos em sua casa e ao entrar na sala vimos um grande tapete colorido, almofadas espalhadas pelo chão e nenhuma mesa. A cultura deles é de comer no chão e apoiar as costas em almofadas. Foi muito interessante!

Conhecemos sua esposa e suas três filhas, porém a única que nos fez companhia foi Misbar, muito simpática e extrovertida. Aguardamos ansiosos pela comida, já sabíamos o que seria, pois antes de nos convidar, Nissar perguntou a nós se gostávamos de carneiro. O Ro sim mas eu não, porém queria dar outra chance!

Quando a comida começou a chegar não parava de sair pratos diferentes e muito cheirosos. Misbar nos serviu um pouco de tudo, havia carneiro de dois tipos (um cozido e outro com molho branco, servido somente em casamentos), frango cozido, peixe frito, lentilha, arroz branco, saladas e um queijo feito pela esposa do Nissar. Tudo delicioso, só de lembrar me deu água na boca. Comemos com talheres, mas Nissar nos ensinou como comer com as mãos, e sua dica fez toda diferença em nossa viagem. Para finalizar a comilança, Misbar nos serviu um chá de canela! Minha nossa tratamento mais que VIP! Deixamos a casa de Nissar feliz por termos compartilhado aquele almoço tão especial!

Almoço em família!

NOSSO AMIGO ESKY e SURF

Nosso amigo Esky veio parar em Kovalam para passar alguns dias e conhecer as ondas. Ele já havia percorrido uma boa parte desse grande e caótico país. Havia passado por Chennai região sudeste, Mumbai região norte, Taj Mahal região central, Varanasi (cidade famosa por Sadus e o rio Ganges) e agora veio fazer uma pausa na praia. Ele nos contou que estava cansado de tanta sujeira e poluição, e que havia passado muitos perrengues nas viagens de trem. Nos disse que este estado que estávamos era o mais limpo e tranquilo! E claro aqui além de praia tinha ondas para surfar!  O Ro ainda estava com muitas dores na coluna. Além do mais ele disse que as ondas não valiam apena, não valia apena arriscar. Ele aproveitou e vendeu mais uma prancha por aqui. Agora era só uma, a única que iria regressar para o Brasil.

Praia de Kovalan, salva-vidas e Esky!

COMENDO COM AS MÃOS

Fomos na cidade de Trivanadum (capital de Kerala), 30 min de ônibus de Kovalam, buscar o carregador do Mac que havia chegado. Esky aproveitou e foi conosco para conhecer a cidade, que é caótica, suja e sem nenhum grande atrativo, a não ser o aeroporto e estação de trem, que te levam para outras cidades. Depois da loja e carregador na mão, fomos almoçar todos juntos em um restaurante vegetariano tradicional da cidade, cuja a especialidade é o famoso Thali.

Chegamos na entrada e só vimos locais sentados nas mesas, comendo em folha de bananeira e ainda com as mãos. Encontramos uma mesa para nós 3, esperamos o garçom limpar e trazer nossa comida. Primeiro veio folha de bananeira (nosso prato), depois 4 potes de metais com molhos, um rotti (tipo de pão), dois tipos de arroz e 3 tipos de acompanhamento à base de vegetais. Comemos com a mão mais uma vez! Dessa vez eu e o Ro nos saímos melhor, a dica do Nissar fez toda diferença, pois agora entrava mais comida na boca e caia menos pelos dedos..rs Adoramos a comida!

Thali, o tradicional é comer com as mãos!!!

Bom! esses foram nossos últimos dias em Kovalam, partimos em direçao ao norte, mas essa estória você vai ficar sabendo no próximo post.

Beijos e abraços

Priscila e Rodrigo

Anúncios

4 Respostas para “Kerala | Índia

  1. Nossa que blog legal!!! Fico mto feliz em ver que vc conseguiu realizar o seu grande sonho. Espero que as dores crônicas das costas não te castiguem tanto, para que vc possa continuar realizando outras viagens e ainda pegando ondas incríveis!!! Bom retorno para casa, quer dizer, para uma das casas, afinal de contas, se para cada quintal existir uma casa, então com certeza serão muitas:) Parabéns pelo constante exercício do desprendimento e desapego!!! Boas energias!!!

    Da sempre amiga,
    Sarah

Deixe aqui o seu comentário sobre nossos quintais...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s