Kumarakon | Índia


Olá,

Após um mês de estadia em Kovalam, decidimos partir. Compramos nosso ticket de trem para a cidade de Kumarakon. Seria nossa primeira vez em um trem indiano, estávamos curiosos, ainda mais depois das histórias do Esky. Quando o trem chegou, não sabíamos qual era o nosso vagão, decidimos subir em um, pois achávamos que era aquele, mas não era. Descemos e tivemos que correr, pois o trem já estava de partida. Por fim encontramos nosso vagão, que era sem acento marcado. Fomos se encaixando onde dava! Depois de 3h de aperto, desembarcamos na cidade de Kottayam, onde ainda pegamos um ônibus popular para então chegar em Kumarakon, nosso destino final.

No trem à caminho de Kumarakon!!! E comida suspeita…

Essa é uma pequena cidade, com alguns resorts e homestays para ficar. O grande atrativo são os canais dos rios que formam o Backwater, famosa no mundo afora por seus house boats (barcos casas) e belas paisagens. Encontramos um homestay e nos hospedamos de frente para o rio por alguns dias. Aqui os donos do homestay nos tratavam muito bem, sempre tomávamos café e jantávamos na varanda no nosso quarto de frente para o rio, cercado de coqueiros, pássaros e muita tranquilidade. A comida estava sempre divina!

Barco casa, lindas bananas e café da manhã tradicional de Kerala!

Aqui fizemos um passeio pelo rio com um barco comum, entramos nos famosos canais e vimos muitos mais muitos barcos casas. Até entramos em um para ver como era por dentro. No passeio avistamos também algumas aves migratória (direto da Sibéria), peixes, pescadores, cobras d`água e muitas flores de lotus.

Passeio de barco pelos canais de Kumarakon!

Lindas imagens pelo caminho.

KOCHI

Ainda em Kumarakon aproveitamos para ir até a cidade de Kochi, que é famosa por redes de pesca chinesasmercado de peixes, arquitetura colonial portuguesa e uma dança tradicional chamada Kathakali. Durante nosso passeio pela cidade, vimos todos os atrativos, menos a dança típica Kathakali, que só acontece a noite em determinado centros para turistas. Porém apreciamos as belíssimas casas e igrejas construídas por nossos conhecidos portugueses, que para quem não sabe estiveram bastante tempo na Índia.

Outro atrativo que nos chamou a atenção foram as redes de pesca chinesas, até não sabemos como eles pescam com elas. Acreditamos que funciona pois a venda de peixes é grande com muitas espécies interessantes como: atum, sardinha, cioba, tubarão, arraia, tainha, siri, camarão, lagosta, lula e muito mais. No final da tarde, regressamos para nosso homestay pois no dia seguinte partiríamos em direção ao norte.

Primeira igreja vista na Índia, mercado de peixes, pesca e Kathakali.

KANNUR

Havíamos comprado nosso trem para a cidade de Eunarkulam, embarcamos, corremos para pegar um acento e seguimos viagem. No meio do caminho decidimos esticar mais nossa viagem, e o que seriam 2h passou a ser 10h de trem até a cidade de Kannur. Optamos por essa pois as costas do Ro voltou a doer muito e daqui já estávamos mais próximos de nosso próximo destino, o estado de Goa!

Trem para Kannur e vacas sagradas na estação ferroviária.

Em Kannur, nos hospedamos em um homestay chamado Mohamanan (nome do dono), de frente para a praia. Aqui nossos dias foram de sol, mar e biryane. Todos os dias tomávamos um café tradicional preparado pela esposa de Mohamanan, sempre era alguma especialidade do estado de Kerala. Delicioso!!!

Homestay Mohamanan e Pri e Motu.

No primeiro dia arrisquei tomar sol na praia de biquini, porém, sempre algum carro parava para olhar, ou algum indiano caminhava na nossa direção para nos fotografar. Para evitar exposição e aborrecimento, decidimos tomar sol na laje do homestay, onde também assistimos finais de tarde deslumbrantes e o Ro tirou lindas fotos.

Finais de tarde espectaculares na praia de Kannur!

Estamos afastados do centro e não tinham nenhum restaurante por perto. Por isso, todos os dias tínhamos que pedir no almoço para entregar. Esse região é famosa por seus pratos Byriane enrolados em folha de bananeira e acompanhado de iogurte e molho de pimenta. Como viramos indiano, comíamos com as mãos, o que pode parecer um pouco selvagem e nojento a primeira vista, mas é uma forma de comer onde suas mãos sentem a comida e por incrível que pareça ela fica mais saborosa. Assim como a escrita do início do blog: Nós forasteiros fomos transformados em indianos!

Meu prato favorito no almoço, egg Byriane!!!

A CAMINHO DE GOA

Em Kannur compramos nossa passagem de trem para o nosso próximo destino, Goa. Viajamos 10 h durante a noite e compramos uma cabine com cama para cada um ir dormindo tranquilo. Porém nosso trem chegaria as 4h da manhã e lá ainda teríamos que pegar outro para Palolem, uma praia paradisíaca descoberta pelos hippies nos anos 80. Mais esse Quintal e nossa ida para Mumbai, contarei em nosso último blog da viagem. A nossa volta se aproxima…

Bye bye Kannur… a caminho de Palolem, Goa!

Até lá!

Beijos e abraços

Priscila e Rodrigo

Anúncios

Deixe aqui o seu comentário sobre nossos quintais...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s