Nias, Indonésia


Olá,

Chegamos em Padang e já partimos com destino a Ilha de Nias. Para chegar lá, pegamos um vôo para a cidade de Medan onde dormimos uma noite, pois o nosso voo para Nias só sairia na manhã seguinte. No outro dia pegamos nosso voo em Medan e desembarcamos no minúsculo aeroporto da cidade de Gunung Sitoli, agora já em Nias. Um taxista já nos esperava para nos levar até Lagundri Bay, localizada 4h de carro ao sul de Nias. O Ro já havia organizado tudo com a pousada do Justin (Pousada Marlinto), indicada por Marcela e Alexandre (casal de Maresias que conhecemos em Sumbawa).

Aeroporto de Gunung Sitoli – Nias

Na viagem de carro do aeroporto até Lagundri Bay, avistamos pequenas vilas, poucas construções e muita vegetação ao longo do caminho. A minha impressão foi que a Ilha de Nias era a menos populosa de todos os lugares que havíamos percorrido na Indonésia. Depois de 4h de carro avistamos a praia, algumas ondas quebrando e muitos coqueiros. Chegamos onde o Ro tanto sonhava.

A Caminho de Lagundri Bay – Nias

POUSADA MARLINTO (JUSTIN)

Para entender melhor o local, estávamos no sul da Ilha de Nias, na baía de Lagundri Bay, e nos hospedamos na pousada Marlinto que fica na praia de Sorake Beach, de frente para o pico das ondas (The Point).

Fomos recebidos pela Mama, dona da pousada e mãe de dois filhos: Marlinto, o mais velho e que deu nome a pousada; e Justin, o mais novo, um dos melhores surfistas de Nias e fotógrafo de surf. Entramos na pousada, checamos o quarto e decidimos ficar. Nossa varanda tinha uma vista impressionante para as ondas. Alias, quase todas as pousadas de Sorake Beach ficam concentradas de frente para as ondas, assim como os restaurantes e as casas dos locais.

Pousada Marlinto, nosso varanda com vista para as ondas.

A ONDA MAIS PERFEITA

No mesmo dia em que chegamos o Ro já foi surfar, ele desejava muito aquela onda, pois é considerada umas das melhores direitas do mundo. Surfava duas vezes por dia, era o máximo que o corpo dele estava suportando naquela semana, pode parecer pouco, mais já vinha de 10 dias de muitas ondas em Mentawai e quase 3 meses de surf na Indonésia. Ele me disse que estava fraco e precisava tirar umas férias para descansar o corpo. Eu quase sempre ficava na varanda da pousada registrando os melhores momentos do surf, pois a visibilidade de onde eu estava era excelente, o que rendeu ótimas fotos e boas filmagens.

The Point – a melhor onda (o Ro no tubo)

Passamos uma semana em Nias, e quase todos os dias foram de excelentes ondas. O Ro disse que The Point foi uma das melhores ondas que ele já havia surfado na vida. Disse também que a onda é muito forte e poderosa, que levou a pior “caldo” da vida, mas que também pegou o melhor tubo. Veja abaixo alguns dos melhores momentos do Ro surfando, sempre com um belo visual com coqueiros atrás.

The Point – A melhor onda do Ro na Indonésia

Para se ter uma ideia da força da onda, foi aqui que o Ro quebrou sua prancha no meio. Imagine o poder dessa onda, que é comparada por muitos com as ondas do Hawaii. Na próxima viagem de surf para a Indonésia ele pretende passar pelo menos 2 semanas em Nias. Deu para perceber o quanto ele gostou dessa onda!

Ro e sua primeira prancha quebrada

CRIANÇADA

Todas as tarde em frente da nossa pousada ficavam umas 10 crianças brincando e vendendo pães de coco ou de chocolate. Elas eram muito danadas e espertas, haviam decorado o nome de todos os surfistas de todas as pousadas. O meu e o do Ro, não foi diferente e sempre éramos chamados para aparecer na sacada e comprar um pão.

Um dia desci na praia e fiquei conversando com duas meninas Carla e Priscila, duas crianças fofas que já falavam bem inglês e sabiam muitas palavras em português. Me surpreendi com seus nomes, pois uma delas tinha o mesmo nome que o meu. Descobrimos que a origem do nome era portuguesa e estávamos em uma das poucas regiões católica da Indonésia, colonizada por Portugal.

Priscila (minha xará) e Carla

Outro dia eu estava pintando as minhas unhas e elas viram, ficaram todas loucas e queriam também pintar a delas também. Lembrei que havia comprado alguns pequenos esmaltes no México, então resolvi presentea-las. O problema foi que além delas surgiram muitas outras, como não tinha suficiente para todas, resolvi pintar a unha de algumas, foi bem divertido!

As crianças de Nias

BARRIGA FELIZ SURF CAMP

Em Nias fomos conhecer a pousada e restaurante do Barriga, um indonésio muito querido pelos surfistas brasileiros. Algumas pessoas nos falaram muito bem dele, como: Victor Cestari, Tatiana e Felipe Dantas, e muitos outros. Todos disseram para ficarmos hospedados lá, porém já havíamos feito a reserva com a Pousada Marlinto.

Porém, isso não nos impediu de provar a famosa comida do Barriga. Saímos para jantar uma noite e ele havia preparado um banquete de comida brasileira. Sua esposa aprendeu com os brasileiros a fazer nossa comida preferida, e no banquete havia tudo que estávamos com saudade: feijão, arroz, mandioca frita, legumes cozidos, batata frita, peixe assado na folha de bananeira, frango assado e para completar um delicioso brigadeiro de sobremesa! Nossa comemos muito, até não aguentarmos mais. Na noite seguinte voltamos novamente e comemos mais uma vez. Que comida deliciosa!

Barriga Feliz & Surf Camp – Jantar de despedida com comida brasileira

Barriga é uma figura, sabe falar bem português e é um homem muito respeitado na região, ele resolve qualquer problema dentro ou fora d’água. No último tsunami que teve, Barriga perdeu tudo o que tinha, e os brasileiros que frequentam Nias a anos, ajudaram ele a reerguer toda a estrutura. Cada um ajudou com o que podia, deram geladeira, ar condicionado, telhado, tijolo, e assim ele foi reconstruindo toda a pousada. Quem estiver indo para Nias, recomendamos Barriga Feliz & Surf Camp!

AMIGOS DE NIAS

Em Nias fizemos algumas boas amizades. Conhecemos o Bruno, um brasileiro que mora a muitos anos na Austrália e por coincidência é muito amigo do casal Rafael e Michele que conhecemos em Noosa Heads (Austrália). Conhecemos também o Matt, um australiano gente boa que estava viajando sozinho atrás das ondas da Indonésia. Ele nos contou que tem uma namora brasileira chamada Flávia.

Ro e Matt (Australiano)

BYE BYE INDONÉSIA

Nossos dias em Nias estavam acabando. O Ro se despediu das ondas e nós dois nos despedimos da Indonésia. Reservamos um carro com o Barriga para nos levar até o aeroporto. Compartilhamos a viagem com sua filha e seu filho mais novo. Fomos conversando até o aeroporto e lá nos despedimos. As férias dela tinham terminado e estava voltando para estudar em outro cidade, seu irmão foi apenas acompanha-la. Ah! o nosso motorista se chamava Maguila, dá para acreditar!

Eu e o Ro em nossa última noite em Nias e na Indonésia

Bom! Pegamos um vôo de Gunung Sitoli para Medan e depois um vôo para Kuala Lumpur, Malásia. Foram 3 meses de muitas experiências, ondas, amizades e estórias para contar. A nossa tão sonhada Indonésia ficou para trás. Continuamos seguindo viagem pela Asia, ainda passaríamos pela Malasia, Tailândia, Sri Lanka e Índia.

Essas estórias e muitas outros contarei nos próximos blogs. Aguardem o nosso próximo Quintal…Malásia! Repleto de novas amizades, lugares históricos, e muito aranha-céus. Fomos no edifício onde foi gravado o filme Missão Impossível, com o Tom Cruise.

Beijos e Abraços

Priscila e Rodrigo

Anúncios

Deixe aqui o seu comentário sobre nossos quintais...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s