Mentawais, Indonésia


Olá,

Esse será nosso penúltimo quintal da Indonésia, onde contarei nossa ida para as Ilhas Mentawais, localizadas na Ilha de Sumatra. Este Quintal foi 110% destinado para as ondas e suas ilhas paradisíacas. Então vamos que vamos!

A CAMINHO DE PADANG

Depois de muitas idas e vindas, finalmente Bali ficou para trás, partimos pela última vez para o aeroporto agora com destino as Ilhas Mentawais. Para chegar lá, pegamos um voo até Jakarta (capital da Indonésia) na Ilha de Java, depois pegamos um outro vôo para a cidade de Padang, na Ilha de Sumatra. Na saída do aeroporto de Padang, um taxi já nos aguardava para nos levar até o cais, onde pegamos um barco até as Ilhas Mentawais.

No vôo de Bali para Jakarta reencontramos com David e seus dois filhos, tínhamos conhecido eles um dia antes na festa de despedida dos nosso amigos Sílvia e Ricardo. David já mora ha mais de 15 anos na Indonésia e tem uma escola de surf na praia de Canggu (Bali), onde mora com sua esposa. Além do mais, é dono de um Surf Camp na Ilha de Asu (norte da Sumatra). Na festa de despedida, ele havia nos contado que assim como nós também estava indo para as Mentawais, só que ficaria em um barco, percorrendo todas as ondas da região e cada dia acordando em um lugar diferente, que viagem boa!

Eu e o Ro esperando no aeroporto de Jakarta.David e seus dois filhos, assim como nós a caminho das Ilhas Mentawais

David estava realizando um sonho, apesar de já ter indo algumas vezes para as Mentawais, essa vez era especial, pois iria surfar as ondas mais sonhadas por todos os surfistas ao lado dos seus dois filhos, também surfistas e grandes promessas futuras! Parabéns David! Fizemos a viagem quase toda juntos, quando chegamos em Padang nos despedimos dos três, e seguimos nosso caminho em direção ao cais.

INDO PARA AS ILHAS MENTAWAIS

Já no aeroporto de Padang conhecemos mais dois integrantes da nossa viagem, a Martina, surfista do Uruguai e ex-guia de surf nas Mentawais, e Mark, surfista da Nova Zelândia e namorado da Martina. O taxi do nosso hotel já nos esperava no aeroporto. Durante o percurso até o cais, fomos conhecendo um pouco mais sobre Martina e Mark, antes de chegar ainda paramos em um hotel para pegar mais 4 integrantes: Rodrigo e Marcel brasileiros de Santa Catarina, e Rodney e Evin dois surfistas do Hawaii. A equipe estava completa, eu era a única que não surfava naquele grupo.

Bom! Tudo certo e todos prontos para uma longa viagem! O barco (Speed Boat) já nos esperava no cais. Embarcamos e acomodamos todos na parte interna do barco, que tinha ar-condicionado e tv. O capitão colocou um filme de surf para todos assistirem, assim o tempo passaria mais depressa!

No Speed Boat a caminho das Ilhas Mentawais

A VIAGEM MAIS CANSATIVA DOS QUINTAIS DO MUNDO

Nossa viagem até as Ilhas Mentawais foi a mais cansativa de todas as viagens dos Quintais do Mundo. Você vai entender porque. Durante a primeira hora da viagem de barco o mar estava calmo, porém o cheiro de dísel no compartimento interno estava deixando todo mundo enjoado. Quando entrei no barco já estava um pouco apertada para fazer xixi, procurei um banheiro perto do cais, mais não encontrei, então segui viagem assim mesmo. Imaginei que levaríamos no máximo 2h30 para chegarmos à ilha, porém a viagem se estendeu além da conta. Depois de algumas horas entramos em alto mar e as ondas estavam grandes, fazendo o barco pular muito e deixando quase todos enjoados.

O Ro foi o que mais sofreu, ficou quase toda a viagem do lado de fora do barco e vomitando muito (inclusive a bile). O pior que eu não podia fazer nada! Fiquei do lado dele contando as horas para chegarmos. Porém, para onde olhávamos não víamos  nada, apenas uma imensidão azul e um céu carregado de nuvens. Pegamos muita chuva quase o trajeto todo. A única vantagem de ter ficado do lado de fora, foi que vimos muitos peixes voadores do lado do barco.

Bom! Já estávamos a mais de 4h viajando e nada das ilhas, minha vontade de fazer xixi já estava insuportável e não tinha como pular na água. Quando começamos a avistar as ilhas comecei a rezar para chegar o mais rápido possível, por mim e pelo Ro, que estava muito mal. Por fim e depois de muito sofrimento, chegamos no Bootik Resort as 19h depois de 5h de viagem de barco! Que alívio. Esse dia foi muito cansativo, pois tudo começou as 4h da manhã quando saímos do nosso Hotel em Bali.

ILHA BOTIK e BOTIK RESORT

Bom! Depois de tanto sofrimento fomos recepcionados por Mário (o dono do hotel) e Melissa com um delicioso jantar regado com muita pizza. Foi uma delícia! Naquela primeira noite conhecemos um pouco mais da história desse casal. Mário é espanhol, surfista e apaixonado por pesca submarina. Melissa é da África do Sul, fotógrafa e apaixonada pelo mar.

Melissa e Mario

As Ilhas Mentawais são um grupo de 70 ilhas localizadas a 150km da costa. Essas ilhas são famosas entre os surfistas, pois algumas delas abrigam ondas perfeitas, o sonho de qualquer surfista. Muitos fazem como o David, ficam hospedados em um barco e viajando atrás das ondas. Outros preferem ficar em terra, escolhem uma região e surfam as ondas com pequenos barcos. Nós escolhemos ficar em terra e na região conhecida como Playground (parque de diversão), pois ali possui mais de 8 ondas perfeitas e de fácil acesso. Ficamos hospedados na Ilha Botik, mesmo nome do hotel (Botik Resort). Essa ilha tem uma excelente localização, pois está cercada por todas as outras ilhas onde tem onda, tínhamos todos os dias um cardápio de lugares para escolher onde surfar.

Mapa da região de playground nas Ilhas Mentawais

Ilha Botik e o nosso hotel Botik Resort

Todas as noites, inclusive a primeira, reuníamos para combinar o horário de surfar no dia seguinte, afinal esse era o objetivo de todos ali. Nossos dias eram bem parecidos, lenvantávamos cedo, tomávamos café e todos no barco para mais um dia de ondas. O que mudava eram sempre as ondas, onde surfariam, como estaria o mar, o vento e etc. No dia da nossa chegada não tinha ideia de onde havíamos atracado, na manhã seguinte pude ver a beleza do lugar. Estávamos tomando café da manhã de frente para uma praia de areia branca e mar azul turquesa, um visual maravilhoso…

Botik Resort, nosso visual durante todas as refeições

PRIMEIRO DIA DE SURF

No primeiro dia saímos de barco para conhecer as ondas de Nipusi e ver como estava lá. Condições perfeitas! Todos para a água. Agora minha função era fotografar o Ro, que estava igual criança quando vai à praia. Fiquei sentada ali no barco, sentindo o balanço do mar e vendo toda aquela perfeição. Entendi o sonho de muitos surfistas, que dariam tudo para estar ali onde eu estava. Senti um privilégio e um profundo agradecimento.

Nossos dias eram sempre no barco a procura das melhores ondas

Voltamos para o hotel para almoçarmos e descançar depois de uma longa manhã. Como não estou acostumada com barco fiquei bem enjoada e não fui na segunda “queda”do dia, o Ro foi com o barco e eu fiquei ali com a ilha só pra mim…rs!

Nesse dia caminhei pela Ilha Botik e aproveitei para fotografar aquelas paisagens que colocamos no computador como descanso de tela…rs Sabe aquelas paisagens que colocamos quando o trabalho está muito chato? Pois é! Que sonho! Além de caminhar, me esbaldei com um mar transparente, quente e azul. Neste lado da ilha o mar era bem tranquilo, dava para nadar e mergulhar numa boa. A ilha é bem pequena e é possível dar uma volta completa em 1h, eramos os únicos habitantes.

Botik Resort – um paraíso nas Mentawais

Tínhamos um ritual diário no final de tarde. Quando voltávamos do surf e depois do banho, sempre passávamos repelente, colocávamos blusas de manga longa e calça comprida. Tudo para se proteger dos mosquitos, pois ainda há um pouco de malária na região. Não como alguns anos atrás, mais não custou nada prevenir!

NOSSOS DIAS NO PARAÍSO DAS ONDAS

Todos os dias os meninos tinham que decidir entre qual onda surfar entre as muitas opções, tinham quase sempre dois barcos a disposição para levar para onde quisessem. A decisão era sempre depois de checar o tempo, a direção do vento e das ondas. Essa parte das Mentawais possui muitas ondas, as principais são: No-Kandui, Rifles, Hideaways, Nipussi, Bank Vaults e E-Bay. Quando a condição está boa para uma onda, está ruim para a outra, e assim segue para todas elas. O Ro surfou quase todas, as que ele mais gostou foi Hideaways, E-Bay e Rifles.

Mentawais (Sentido horário) – Nipussi, Bank Vaults, No-Kandui, Hideaways, E-Bay, e barco do resort voltado do surf.

O Ro adorou tudo, surfou muito todos os dias e estava sempre feliz com as ondas. Foram tantas fotos bonitas que foi difícil escolher as melhores. A sequência abaixo mostra um pouco como foram as ondas e nossos dias, sempre atrás das melhores opções.

Ro surfando nas Mentawais (sentido horário) – A-frames, No-Kandui, E-Bay, Hideaways, Hideaways e Nipussi.

Ah! nessa região o fundo é de coral colorido e bem afiado, o Ro já vinha da Indonésia inteira sem nenhum corte, mas aqui aconteceu. Estávamos em Hideaways, o Ro entrou no mar e estava sem botinha de surf, foi o único dia que entrou na água sem. O mar estava grande e as ondas tubulares, acredito que ele surfou umas três ondas e levou uma vaca, como a maré estava secando, os corais já estavam “sorrindo” para os surfistas, nessa última onda o Ro cortou todo o pé. Foi o primeiro corte na Indonésia.

MERGULHO E PESCA

Algum lugares onde íamos surfar também era possível mergulhar. Fazer snorkeling era simplesmente divertidíssimo e eu via muitos peixes grandes e corais coloridos. O medo de fazer snorkeling sozinha era grande, mais agente se acostuma e depois passa a ser prazeroso. Alguns dias o Ro entrava comigo e mergulhávamos juntos, confesso que era bem melhor!

Mergulhar era sempre uma experiência colorida

Quase todas as tardes que saíamos para surfar, Mario levava no barco o seu kit de pesca submarina e enquanto os meninos surfavam ele saia atrás de grandes peixes. Quase sempre voltava para o barco com um ou dois peixes. E esses seriam nosso jantar. Uma noite fizemos um churrasco na praia e assamos um peixão delicioso.

Mario com um belo peixe que ele mesmo pescou.

PASSEIOS E PAISAGENS

Nossas idas para o surf eram de barco, uma viagem que para mim era sempre um passeio, pois víamos as ilhas mais paradisíacas e impressionantes do mundo. Passamos por uma que só tinha um coqueiro, mais essa ilha era um pouco diferente pois o último coqueiro que tinha nela caiu, só sobrando seu tronco que de longe mais parecia uma cabana de índio. Fora as ondas e as ilhas que eram incríveis, o que sempre me deixava emocionada eram os finais de tarde. Quantas cores e quantas formas, um presente divino a cada final de tarde.

Ilhas Mentawais – um paraíso na Indonésia

SE DESPEDINDO DAS MENTAWAIS

No meio da viagem Martina e Mark foram embora, pois entraria um swell perfeito para surfarem Desert Point. Nos despedimos do casal e que também eram nossos companheiros de bangalô. Não ficamos a sós por muito tempo, em dois dias chegou Rodrigo para fazer companhia, outro brasileiro de Itacaré, Bahia. Uma figura!

Nos outros dias nos despedimos também de Rodrigo e Marcel, os dois pegariam um aquaplain e iriam para uma a Ilha de Pasti. Nossos dias nessa ilha maravilhosa também estavam no fim. Nos despedimos de Mario, Melissa e Rodrigo (Itacaré) e seguimos viagem em uma manhã com Rodney e Evin. A viagem de volta foi tão ou mais terrível que a da vinda. O barco dessa vez era menor, o mar estava com muita marola e chovia bastante. Mais no final deu tudo certo e chegamos sãos e salvos em Padang.

Beijos e Abraços

Priscila e Rodrigo

Anúncios

9 Respostas para “Mentawais, Indonésia

Deixe aqui o seu comentário sobre nossos quintais...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s