Ubud, Indonésia


Olá,

Mais um Quintal da Indonésia, neste contaremos nosso retorno de Sumbawa para Bali, o aniversário do Ro no Warung PF Brasil e nossa ida para Ubud, a cidade romântica de Bali, onde comemoramos 01 ano de Quintais do Mundo.

DE SUMBAWA PARA BALI

Depois de 15 dias em Sumbawa, retornamos para a nossa “casa” em Bali, o Hotel Ayu Gunna. Aqui reencontramos com Victor Cestari, um carioca muito gente fina, que ainda não tinha comentado ainda aqui no blog, mas que sempre encontrávamos com ele no restaurante do Hotel. Victor já tem várias temporadas na Indonésia e conhece muito bem as ondas de lá. Ele nos deixou muita informação preciosas do país e principalmente de Nias e Mentawais.

Até este momento da viagem não tínhamos a intenção de ir para as Ilhas Mentawais, pois nosso orçamento estava apertado e sabíamos que era caro fazer essa viagem. Nossos planos começaram a mudar quando Victor nos falou de um hotel em uma das ilhas Mentawai que estava com um valor bem acessível. Ele acabará de voltar de lá e nos mostrou as perfeitas ondas e toda a estrutura e beleza do lugar. Depois dessa conversa nossos planos mudaram e decidimos ver essas ondas tão perfeitas de perto. Mais antes vamos rever mais amigos!

ANIVERSÁRIO DO RO

Voltamos para Bali para comemorar o Niver do Ro entre amigos brasileiros, como fomos os últimos de toda aquela turma a deixar Sumbawa, pedimos ao Diego Cabral que organizasse e falasse com o Hugo de restaurante PF Brasil para fazermos um churrasco brasileiro para uns 20 convidados. Quando chegamos em Bali, fomos direto falar com Hugo, que foi muito atencioso organizou e comprou tudo de primeira para a festa. Decidimos o cardápio e para o churrasco teríamos: arroz, feijão, salada, batata palha, purê de batata, pão de alho, coxinha de galinha e 12 kg de carnes de primeira que o próprio Hugo, solicitou direto do melhor frigorífico de Bali. Certeza de um sabor brasileiro em Bali.

Chegamos no Warung, ajeitamos as mesas, fiz alguns arranjos com flores e o Hugo cuidou do fogo para fazer o churrasco. Os convidados foram chegando, achando algum cantinho, se sentando e se enturmando. Foi chegando cada vez mais gente, até que contamos que já haviam 45 pessoas.  Um foi avisando o outro e foi gerando uma festa muito gostosa. Todos contribuíram com um pouco de dinheiro, e o nosso amigo Daniel foi o responsável pelo caixa da festa. Entre os convidados estavam os nossos amigos Sílvia e Ricardo (Sílvia muito obrigada pelo bolo, estava divino!), Diego Cabral, George, Carlos, Daniel, Victor Cesari, Flavinha, Sueli, Juninho, alguns de Salvador, Nova Zelândia, São Paulo e muitos outros brazucas que estavam por lá. Conhecíamos QUASE todos que estavam ali.

O Ro estava muito feliz por estar comemorando o seu niver em Bali, com excelentes ondas, calor brasileiro por perto,  amigos divertidos, churrasquinho despretensioso e uma companheira sempre por perto. O dia estava completo! Alguns amigos não foram ao churrasco, pois estavam viajando pela Indonésia, mais deram ao Ro um parabéns adiantado!

A CAMINHO DE UBUD

Bom! Como voltamos para Bali resolvemos conhecer mais uma cidade, dessa vez sem ondas mas com muita cultura, Yoga, bons restaurantes e arroizais verdinhos. Deixamos o Ayu Gunna em uma manhã e dirigimos por 2h até a cidade de Ubud.

Durante a viagem o Ro parou o carro em uma faixa que não podia parar, era obrigado a virar a esquerda. Quando ele percebeu, viramos a esquerda e fizemos um retorno para voltar a estrada que estávamos, pois tínhamos que ir reto. Porém, não contávamos que um guarda tinha visto a manobra do Ro, e logo depois que retornamos a estrada, uma moto da polícia rodoviária acenou e disse para encostarmos. Ok! Problema a vista. Ele pediu os documentos do carro e a carteira internacional. Olhou e disse que iria nos multar, pois havíamos parado em uma faixa que não podia parar. Tentamos uma negociação, falamos que era nossa primeira vez em Bali, estávamos um pouco perdidos e mais um monte de bla bla bla que não adiantou de nada. Recorremos a propina (pois muitos amigos em Bali já haviam nos alertado desse tipo de situação) e ele também não aceitou, queria muito mais do que oferecemos. Então resolvemos deixa-lo nos multar, pegamos a multa e seguimos em frente com destino a Ubud. Acredito que dirigimos uns 100 metros e ele nos parou novamente. Pensamos juntos – O que foi que fizemos agora? Será que vamos tomar outra multa? – Mas não, O policial voltou atrás e decidiu aceitar nossa propina. Nos disse que o valor estava bom e que não iria mais nos multar…Bobinho esse guarda!

UBUD

Ubud é considerada a cidade romântica balinesa, muitos pessoas vão para fugir um pouco da loucura de kuta e se refugiar em meio a arrozais, comidas gostosas e muita cultura. Na entrada da cidade já sentimos um clima diferente, com diversas lojas de artesanatos e mobílias em madeira, pedra e cerâmica. Como sou decoradora estava me sentindo em um paraíso, com tantas opções de objetos de decoração. Além disso, observamos que a arquitetura balinesa estava bem viva e se mostrava em quase todos os hotéis, pousadas, casas de família, restaurantes, cafés e templos. Uma arquitetura rica em detalhes.

A princípio ficaríamos apenas dois dias, mais gostamos de Ubud e nossa viagem rendeu um pouco mais. Ficamos no Hotel Pradha no centro da cidade, era confortável e bem localizado, fizemos tudo à pé, pois o trânsito também é bem complicado em Ubud.

Nossos dias nessa cidade foram de descobertas para novos paladares, ingredientes, templos e galerias de arte. Bom! Depois de tantas ondas e clima de praia, eu estava com saudade de um pouco de cidade. Essa tinha um ar todo de montanhas, sem necessariamente estar nas alturas.

FLORESTA SAGRADA DOS MACACOS

Em Ubud fomos visitar mais um templo dedicado aos macacos, logo na entrada já dizia Welcome to the Padantegal Mandala Wisata Wenara Wana Sacred Monkey Forest Sactuary (Seja bem vindo a Floresta Sagrada dos Macacos). Confesso que estava um pouco inconfortável, pois a última experiêcia não tinha sido muito positiva no Templo de Uluwatu. Mais vamos que vamos.

Pagamos nossa entrada e seguimos por uma trilha com árvores enormes. Logo na entrada já vimos muitos macacos, grandes, pequenos, filhotes e dali para frente vimos muito mais, são mais de 600 macacos. O templo construído no interior do parque é lindíssimo e majestoso. Arquitetura impecável e singular com muitas esculturas em pedras.

Passamos uma tarde no parque e fomos pegos de surpresa por uma chuva rápida de verão, isso fez agente esperar ela passar dentro do parque e pudemos observar um pouco mais os macacos. Vimos alguns bem gordos sentados no chão e comendo batata doce. Depois da chuva percorremos o restante do templo e deixamos o parque para caminhar um pouco mais pela cidade.

ENCONTRO COM KETUT LIYER`S

Para quem não sabe, em Ubud foi onde gravaram uma parte do filme Comer Rezar Amar. O filme, baseado no livro de Liz Gilbert e representada por Júlia Roberts, conta que em Bali ela conheceu um guru chamado Ketut Liyer, que leu sua mão e previu todo seu futuro. Depois desse filme, Ketut ficou mundialmente conhecido e hoje ele atende turistas de todas as partes, é preciso até senha para ser atendido por ele.

Decidimos conhece-lo também e caminhamos por ruas estreitas até chegar em um portal entalhado em pedra, uma porta em madeira e um lindo jardim de orquídeas. Era a casa do famoso Ketut, onde já na entrada encontramos vários turistas esperando para serem atendidos. Entramos, não pegamos a senha e ficamos a apenas alguns metros, observamos ele atender uma família. As sessões acontecem em uma varanda com todos sentados em um tapete no chão.

Antes de decidir conhece-lo, perguntamos para algumas pessoas que haviam se consultado com Ketut o que elas acharam. Todos contaram que ele diz a mesma coisa, e como a grande maioria é mulher, ele sempre diz que elas irão casar e encontrar o amor da vida. Diz isso inclusive para as que já são casadas! Bom! o custo é de $30 dolares para ler a mão e ele atende uma média de 15 pessoas por dia. Fica a dica! Nós não fomos, queríamos apenas conhecer aquela figura do filme.

PAUSA PARA UM CAFÉ

Sempre quando visito essas cidades charmosas adoro provar café e comer algum bolo típico da região. Em Ubud, não foi diferente e provamos vários deliciosos em ambientes muito agradáveis. Tomamos café de frente para um arrozal, dentro de um templo hindu cheio de flores de lótus, e nas ruas em pequenos estabelecimentos.

Alem de cafezinho provamos alguns restaurantes tradicionais, como o Ibu Oka, que serve babi (porco) assado, frito e cozido, acompanhado de vegetais e arroz. Pedimos um prato de vegetais, arroz e um porquinho à moda da casa. O restaurante estava lotadíssimo, aqui você tem a opção de se sentar no chão ou em cadeira. Comemos no chão e podemos garantir que é realmente muito gostoso. Fica a dica para quem visitar Ubud, Restaurante Ibu Oka.

ENCONTRANDO OS ARROZAIS

Seguindo a rua de nossa pousada, caminhamos entre pequena vilas e chegamos a uma paisagem extraordinária e fascinante, as famosas plantações de arroz milenares nas montanhas. Caminhamos ao redor e entre os arrozais, eles estavam na fase de crescimento e não de colheita, sendo assim a paisagem era de muita água e vários pés de arroz nascendo. Durante a caminhada tive um momento de distração e escorreguei o pé e afundei na lama do arrozal, foi muito engraçado, fiquei toda suja. O Ro disse que em todos os lugares que vamos eu caio em algum momento, disse que sou igual banana podre…kkkk.

Nesse dia ficamos esperando o pôr do Sol quando um senhor balines se aproximou para conversar. Era uma pessoa humilde, tranquila e que falava bem inglês, nos contou que aprendeu com os turistas que sempre visitam Ubud. Nos contou também que sua alimentação era a base de arroz e que aqueles arrozais eram sua vida.

Foi uma delícia conversar com aquele homem, agente sempre leva dos lugares além das paisagens as pessoas que encontramos no caminho. Aguardamos o final de tarde que deixou as plantações douradas com os raios do sol, isso nos transmitiu muita paz e tranquilidade. Só de termos feito esse passeio pelos arrozais, valeu a vinda a Ubud.

COMEMORANDO 01 ANO NOS QUINTAIS DO MUNDO

Decidimos ir aos arrozais em uma data especial para nós, estavámos comemorando 1 ano de Quintais do Mundo e para fechar essa comemoração com chave de ouro, fomos jantar no Ryochi, um restaurante japonês delicioso. Havíamos provado uma outra unidade em Seminiak e quando chegamos em Ubud, vimos que aqui também tinha. A comida estava maravilhosa e jantamos em uma atmosfera perfeito!

TEMPLO DE LOTUS E CURSO DE BATIK

Visitamos em Ubud um belíssimo templo que ficava do lado do nosso hotel, o Templo de Lótus, onde duas vezes por semana aconteciam apresentações noturnas de Kekak, uma dança típica balinesa. Para nossa sorte, era possível assistir as danças de graças da sacada do nosso hotel. Durante o dia o templo fica aberto para visita e pudemos entrar para conferir a paisagem interna divina, com dois lagos cheios de flores de lótus e uma passagem no meio que se chega até a entrada do templo. Tudo muito bonito, com várias esculturas em pedras, Deuses e Deusas Hindu.

Depois do templo fomos para minha Aula de batik, já havíamos reservado com dois dias de antecedência, seria a tarde toda fazendo o curso e o Ro foi junto para registrar e gravar para mim todo processo da pintura. Que namorado! Aprendi todos os processos do desenho, da aplicação da cera, da pintura, do tingimento, do banho para retirar a cera e da aplicação do fixador de tecido. Foi muito gostoso e desfrutei muito de tudo. No final dei minha pintura de presente para o Ro! Ele ficou muito contente!

DESPEDINDO DE BALI

Bom é isso. Depois do curso seguimos novamente para Uluwatu e para o Ayu Gunna. Na mesma noite fomos convidados para um churrasco de despedida dos nossos amigos Silvia e Ricardo na casa de uma amiga deles. Chegamos no churras a noite e já nos esperava Sílvia transbordando energia e Ricardo feliz da vida. Além do casal conhecemos muita gente interessante, Luz e Cássio de Floripa, Davi e sua esposa outro brasileiro que mora em Bali há muitos anos e seus dois filhos. Marta a dona da casa e seus pais e muitas outras pessoas. Comemos um churrasco de peixe e frutos do mar divino. Nos despedimos do casal e combinamos de fazer uma visita a eles quando retornarmos pro Brasil! Muita energia positiva para vocês casal!

Ainda tínhamos que organizar nossas coisas para a viagem até as Ilhas Mentawais, pois pisaríamos em uma pequena ilha cercada de coqueiros, areia branca e água azul dentro de 2 dias. Para isso teríamos que sair de Bali, voar para Jakarta, esperar nosso voô para a Ilha de Sumatra, exatamente em Padang e de lá um barco nos esperaria para as perfeitas ondas de Mentawai. Mais essa história e nossa ida para Nias só contarei no próximo blog, que será 110% surf e lugares paradisíacos.

Até o próximo quintal Mentawais e Nias!

Beijos e Abraços

Priscila e Rodrigo

Anúncios

10 Respostas para “Ubud, Indonésia

  1. Pri,
    Depois de três anos voltamos a Bali e dessa vez como vc sugeriu ficamos mais tempo em Ubud. Foram 3 dias e 2 noites o suficiente para nos apaixonarmos por esse lugar, não conseguimos fazer tudo, mas ficou uma certeza que voltaremos assim que possível.
    Ah o templo de Lótus é lindo, mas o Elephant Cave foi o templo que eu mais gostei. Já o preferido do Makon foi o Tirta Empul Temple, o atrativo é a água sagrada e várias pessoas tomando banho, mas para o Makon foi o fato de ter um lago enorme com centenas de carpas que dá para alimentá-las na mão.
    Fomos tb no Monkey Forest, Tegallang Rice Terrace, Kintamani/Volcano.
    Saudadesssss

Deixe aqui o seu comentário sobre nossos quintais...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s