Lennox Head até Nelson Bay, Austrália


Hello!

No último blog deixamos a cidade de Byron Bay e pegamos a estrada com destino a pequena cidade de Yamba, que fica a duas horas de carro. Decidimos conhecer Yamba porque muitas pessoas indicaram como sendo um dos melhores lugares da Austrália para viver, passear e surfar. Durante a viagem de apenas 120 km, aproveitamos para conhecer 2 praias no meio do caminho com excelentes ondas, Lennox Head e Evans Head.

Depois de Yamba seguimos viagem em direção a Sydney, mas antes paramos em diversas outras cidades como: Coffs Harbour, Scotts Head, Crescent Head, Foster, Booti Booti National Park, Seal Rocks, Nelson Bay e Newcastle. Várias cidades tem no seu nome a palavra “head”, que traduzindo ao pé da letra significa “cabeça”, mas o verdadeiro sentido é para dizer que é uma ponta ou canto de uma praia. Como nossas praias no Brasil, temos várias chamadas “Ponta… ou Canto….”.

Acompanhe essa bela viagem nas histórias abaixo, foram dias buscando ondas e lugares para dormir de graça.

LENNOX HEAD

Nossa primeira parada foi em Lennox Head, considerada por muitos australianos uma das melhores ondas da costa leste. Lennox fica a 20 km ao sul de Byron e por ser tão próxima, muitos surfistas que moram em Byron surfam em Lennox. As ondas quebram em uma rasa bancada de pedra afiada e tem um certo localismo dentro da água. O dia que fomos estava nublado, garoando, frio e água do mar gelada. O Ro não se animou muito para entrar no mar, então resolvemos apenas parar o carro em um estacionamento em cima de um morro para ver as ondas, haviam muitos surfistas. Dali também tínhamos uma visão bem completa da cidade de Lennox! Podemos dizer que era bem pequena e charmosa.

Lennox Head

Checando as ondas de Lennox Head

Lennox Head ao fundo

EVANS HEAD

De Lennox continuamos nossa viagem com destino a Yamba, mas antes demos uma paradinha em Evans Head para almoçar em um belo mirante, com vista agradável para o mar e uma boca de rio. Fizemos nosso almoço, em mais um espaço destinado para piquenique.

Evans Head

YAMBA

De barriga satisfeita seguimos para o nosso destino final, a pequena e pacata cidade de Yamba, com poucos habitantes, ruas largas, um centro gastronômico simples com poucos restaurantes, lojas moderninhas, bairros residenciais com casas e alguns poucos prédios. Pode-se dizer que Yamba é uma cidade limpa, organizada, tranquila, simples e muito gostosa. Acredito que esses atributos tenham nos conquistados ao ponto de permanecermos por lá durante 10 dias!

Yamba

Yamba

Yamba

Em Yamba, acordávamos cedo e íamos direto para a praia de Angourie checar o mar e ver as condições das ondas. A praia de Angourie é uma reserva ecológica, muito bem cuidada e sinalizada. Aqui se pode fazer trilhas em meio à mata e admirar os inúmeros pássaros,  pequenos animais e se tiver sorte até encontrar cangurus! Há também dois outros passeios para se fazer e conhecer a Blue lagoon e Green lagoon, que são duas lagoas de água doce, em frente ao mar, as duas tem paredões rochosos bem altos e vegetação aquática. O Ro experimentou as duas lagoas até saltou do paredão da Blue, mas eu medrosa, só entrei na Blue e ainda com muito medo, pois a água era turva e não dava para ver os pés em uma quantidade pequena de água. Valeu a experiência do banho e claro as belas fotos tiradas!

Angourie

Surf em Angourie

Mirante em Angourie

Mergulho na Blue Lagoon

O Ro surfou todos os dias em que ficamos em Yamba, havia entrado um belo swell, consistente e grande. Todos os dias parávamos o carro no estacionamento de Angourie, fazíamos a pequena trilha para se chegar à praia, estendia minha canga, tomava um pouquinho de sol e registrava os melhores momentos das ondas e claro do surf. A alegria de ve-lo sair da água era muito boa e me deixava muito feliz!

Direitas em Angourie

Ro

Apreciando o entardecer no mar

Teve um dia voltando na trilha que estávamos conversando a respeito das ondas, quando o Ro disse: – Pri olha um canguru! Fiquei sem reação, pois estava desejando há muito tempo um encontro. Ficamos uns 5m de distância dele, o canguru ficou ali parado, mastigando um matinho e nos observando. Ele era lindo, parecia um coelho gigante, seu pelo era cinza e parecia ser muito macio, suas patinhas dianteiras eram pequenas, as traseiras bem maiores e sua calda era grande e forte. Nossa curiosidade e ânsia de chegar mais perto, espantou o bichinho que saiu pulando muito rápido. Ficamos muito contentes de ter visto nosso primeiro canguru!

Canguru

Em Yamba ainda frequentávamos a biblioteca, que continha internet grátis! Assim podíamos checar os próximos dias de swell, ver e-mails, escrever no blog e falar com a família! Quase em frente a biblioteca, fazíamos nossos almoços em um espaço que havia umas churrasqueiras cobertas, banheiro, água potável e dois campos de Rugby, o esporte preferido dos australianos!

Local

CANGURUS À VISTA!

Bom! depois de 10 dias partimos no sentido sul em direção a Sydney, mas com muitos destino a conhecer no meio do caminho. Logo na saída de Yamba vimos muitas placas indicando cangurus. Com muitas expectativas de encontrá-los, fomos mais devagar na estrada e eu atenta olhando para todos os lados, observando cada árvore, cada gramado, até que avistei uns 5 cangurus deitados em um gramado, tomando sol. Saímos da estrada e entramos em um acesso do nosso lado direito, andamos um pouco mais e demos de cara com muitos, mais muitos cangurus, acredito que tinha uns 50. O mais impressionante é que eles estavam nos quintais das casas em um bairro residencial! Filmamos, fotografamos, fizemos tentativas inúteis de chegar bem próximos e apreciamos. Vimos cangurus adultos, filhotes, fêmeas com filhotes em sua bolsa na frente da barriga e vimos machos. Admiramos o jeito engraçado de caminhar, onde apoiavam as patas dianteiras no solo, a cauda também ficava apoiada e as patas traseiras se moviam a frente, a coluna subia formando um arco e a cabeça conduzia todo movimento.

Sinal que veríamos…

…muitos cangurus!

Este estava curioso com nossa presença!

Esses fizeram poses para a foto! 

COFFS HARBOUR

Cangurus à parte, continuamos nosso tour e seguimos para Coffs Harbour, outra cidade praiana. Entramos nela, percorremos algumas ruas e fomos checar as ondas da praia de Macaulies. O mar estava mexido, turvo e ventava muito. Decidimos seguir viagem. Enquanto olhavamos as ondas de um pier na praia, uma bela gaivota ficou do meu lado, provavelmente querendo comida, e eu estiquei a mão para ela, saiu uma bela foto, mas levei uma picada nos dedos. Hehehe!!!

Macaulies Beach – Sem ondas e com muito vento!

pequenas!

depois desse momento veio a picada nos dedos

Passeando por  Coffs Harbour

SCOTTS HEAD

Novamente na estrada só paramos no final do dia quando avistamos a cidade de Scotts Heads. Estacionamos em um Camping Park de frente para o mar onde podíamos observar as ondas. Que não estavam boas, o mar estava muito mexido. Apreciamos o final de tarde, preparamos nosso jantar e fomos em busca de uma lugar para estacionar o carro e dormir.

Rodamos toda a pequena cidade duas vezes, observamos vários locais, para ver se era viável ou não dormir ali, até que encontramos um em cima de um morro, de frente para o mar. Paramos, preparamos o carro para dormir e depois ficamos um pouco do lado de fora admirando a bela noite e o céu estrelado. Fazia um barulhinho delicioso das ondas do mar se desfazendo na areia da praia, além de um frio gostoso, daqueles que dá vontade de acender uma lareira, fazer um chocolate quente e se enrolar no edredon. Bom! não tínhamos leite para fazer um chocolate quente e muito menos uma lareira, mas tínhamos nossos sacos de dormir e nosso cobertor. Perfeito!

Passamos mais uma manhã em Scotts Head e aproveitamos para usar a área do camping, que era de graça, para fazer nosso café da manhã e depois o almoço, antes de seguir viagem.

Camping ParkScotch Heads

Camping em Scoth Heads – preparando nosso almoço

Mirante em Scoth Heads – local onde dormimos

CRESCENT HEADS

Partimos então para Crescent Heads, uma praia famosa pelas ondas e uma Reserva Nacional do Surf. Da pra imaginar isso?! Uma área onde as ondas são protegidas pelo governo. Checamos as ondas e nada do mar melhorar, continuava mexido, turvo e a ventania ainda estava muito forte. Decidimos então ir embora e segui em frente.

Reserva Nacional do Surf

Crescent Head

Crescent Head

Crescent Head – Mar muito mexido

FOSTER

Chegamos na cidade de Foster, com a intenção de conhecer uma bela reserva natural da Austrália (Booti Booti National Park) foi mais uma indicação do Jimmy. Na verdade todo esse roteiro foi escrito por ele, Jimmy montou um roteiro com as melhores praias de surf da costa e alguns dos lugares mais bonitos da Austrália. Visitamos só o filé minhon da costa leste do país. O Roteiro segui até Melbourne, mas como decidimos antecipar nossa ida para Indonésia, iríamos somente até Sydney.

Chegamos em Foster no final de tarde, demos uma volta na cidade, prepararmos nosso jantar e fomos em busca de um lugar para dormir. Rodamos bastante para encontrar um local tranquilo para estacionar o carro, percorremos quase todas as ruas da cidade. Nessa noite os jardins de todas as casas estavam lotados com eletrodoméstico (geladeira, fogão, máquina de lavar, tv, dvd), móveis, sofá, colchão e tudo mais que você possa imaginar! O interessante é que algumas estavam em perfeito estado! Os australianos devem trocar suas coisas anualmente. Bom depois de tanto percorrer, encontramos com muito sacrifício uma rua sem saída com uma leve subida. Estacionamos, arrumamos o carro e dormimos. Nessa noite nossos corpos iam lentamente descendo e nossos pés batiam no banco dianteiro. Nos posicionávamos novamente na posição certa e mais uma vez ele descia e foi assim a noite toda!

Na manhã seguinte curtimos a cidade, o Ro aproveitou para surfar um pouco, mas o mar ainda não estava dos melhores, e eu fiquei lendo e fazendo algumas filmagens. Na praia de Foster tem uma piscina de água salgada metade na areia e metade dentro do mar, cercada com um muro de pedras, onde a variação da maré faz a troca de água. Muitos senhores estavam nadando nela e fazendo exercícios. Foi bem interessante!

Foster – Piscina com água salgada

Foster, Ro surfando do lado da Piscina

BOOTI BOOTI NATIONAL PARK

Ficamos em Foster dois dias e partimos para o nosso destino principal, o Booti Booti National Park. Esse é um parque nacional protegido cercado de lagos, baías, floresta e belas praias, a maioria delas pouco habitadas e com bastante vida marinha.

Começamos nosso passeio pela praia de Elizabeth Beach, descemos checamos as ondas, a praia, que por sinal era bem linda e seguimos estrada adentro. Passamos ainda por Boomerang Beach, uma praia pequena, de areias douradas e mar verde. Vimos as ondas, mais ainda não estavam perfeitas! Caminhamos um pouco, fotografamos, fizemos uma pequena trilha que deu para ver toda a praia de cima e mais uma vez seguimos adiante! Paramos em Bluyes Beach e continuamos até o nosso destino final, Seal Rocks.

Booti Booti, Elizabeth Beach

Beleza e sutileza em Booti Booti

Boomerang Beach

Boomerang Beach

Boomerang Beach

Booti Booti

SEAL ROCKS

Por fim chegamos em Seal Rock, um pequena vila de pescadores e um dos poucos lugares dessa costa onde o desenvolvimento ainda não chegou. É um lugar famoso pelas excelentes ondas que quebram em diversas praias. Ao contrário das outras praias que passamos, essa estava perfeita para surfar e o Ro aproveitou bastante. O dia não estava dos melhores e pegamos muita chuva quando chegamos. O único dia de sol, aproveitei para sair do carro, caminhar na areia da praia e fotografar as paisagens. Não deu para filmar e nem fotografar o Ro surfando.

Seal Rocks

Seal Rocks

Habitante de Seal Rocks

World Class Waves

Seal Rocks

Em uma das noites que passamos em Seal Rock, dormimos em um camping maravilhoso. Era no meio de uma floresta de mata fechada e densa. Na frente do camping havia um lago grande de águas limpas e claras. Naquela noite em que passamos, mais outros dois carros estavam por lá, fazia muito frio e chovia bastante. Quando já estávamos dentro do carro podíamos ouvir barulhos de bichos soltos, corujas, grilos, morcegos e muitos outros animais. Foi sensacional! Quando acordamos fui fazer uma foto do lago que estava com uma neblina densa que não se podia ver a muita distância, eu só conseguia ouvir o som de alguns pássaros do outro lado da margem! Foi muito lindo e senti muita paz em acordar em um lugar desses.

Camping em Seal Rocks

Camping em Seal Rocks – neblina ao amanhecer

–  Belo lago

NELSON BAY

Demos adeus a Sea Rocks e seguimos para Nelson Bay. Essa cidade não estava nos planos, mas o Ro conheceu um Australiano (Evans) em Yamba que disse que deveríamos conhecer, pois ele considera um dos lugares mais bonitos dessa costa. Evans já viajou o mundo quase todo, e já esteve no Brasil também, ele falou que Nelson Bay seria parecido com a Praia da Joaquina em Floripa, bom decidimos então conhecer. Chegamos lá quase no final da tarde e pudemos apreciar um belo por-do-sol em uma praça na frente da praia. Ventava muito e fazia bastante frio. O vento ajudou a melhorar o tempo e limpar o céu, deixando um final de tarde bem colorido. Nessa praia vimos uma ave que ainda não havíamos encontrado, um albatroz gigante. Seu bico era rosa bebê, seus olhos eram amarelos, sua pupila negra, suas asas grandes e longas, sua plumagem branca e negra, suas patas curtas e azuladas. Muito gracioso!

Entardecer em Nelson Bay

Núvens rosas em Nelson Bay

Lindo Albatroz

Bico rosado, quanta delicadeza!

Nelson bay é um lugar com muita vida marinha, vários barcos, diferentes praias e onde está a mais longa costa com dunas do país, são 30km de dunas. Tem várias praias para surf, mas nenhuma delas tinha ondas, e algumas boas praias para kitesurf. Alguns passeio da cidade são: ver os golfinhos e baleias, mergulhar e andar de quadricículo nas dunas. Tentamos ver as baleias e fomos até um mirante onde é possível observar elas passando, mas não demos sorte, não era época de imigração e não vimos nenhuma. Aproveitamos para fazer nosso café da manhã em mais um piquenique fantástico de frente para o mar e com muitos pássaros esperando as migalhas da nossa comida. Esse foi um dos mais bonitos.

Nelson Bay

Pique-nique de frente para o mar

Surf beach, mas nada de ondas

nada de ondas em uma das belas praias de Nelson Bay

Nao tinha onda, mas tinha bastante vento do outro lado.

A maior região de dunas na Austrália.

Passamos algumas noites nessa cidade e seguimos viagem para nossos dois últimos destinos na Austrália, Newcastle e Sydney. Mais essa história contaremos no próximo blog. Falaremos de um grande swell que bateu na praia de Merewether e da cidade modelo, Sydney!

Até la!

Beijos e Abraços

Priscila e Rodrigo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

2 Respostas para “Lennox Head até Nelson Bay, Austrália

Deixe aqui o seu comentário sobre nossos quintais...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s