Morélia, México


Oralé!

Em nossa última postagem deixamos uma expectativa de qual seria nosso paradeiro. Muito bem então! Vamos ao resultado.

Saímos da Cidade de Oaxaca e desembarcamos na rodoviária da Cidade do México por volta das 20h, ainda sem destino. Para completar era véspera de um dos maiores e mais tradicionais feriados do México, o dia da Virgem de Guadalupe. Nesse dia milhões de devotos se dirigem às principais cidades do país para dedicar, agradecer, pagar promessas ou pedir algo para a Virgem, que é simplesmente a santa mais importante do país e tem igrejas espalhadas no país inteiro. Imaginem como estava a rodoviária de uma das maiores cidades do mundo, na véspera do maior feriado nacional e a gente ainda sem destino!!!

Depois de pesquisar em várias agências, checando todos os horários, distâncias, preços e disponibilidades de ônibus, decidimos ir para Morélia. Foi nossa melhor opção, pois era uma cidade colonial a somente 4h de ônibus, muito bem indicada por vários viajantes e além do mais uma das principais cidades onde seria celebrado o dia da Virgem. Decidimos então conhecer MORELIA, nosso próximo Quintal.

Para chegar lá, compramos nossa passagem e viajamos a noite toda em um ônibus extremamente confortável. Chegamos em Morélia de madrugada e ficamos esperando o dia nascer no único café aberto da rodoviária. As 5h decidimos pegar um taxi para um albergue que escolhemos no Lonely Planet, mas que não estava reservado e também não tinhamos certeza se haveria vaga. Quando entramos no taxi tivemos uma inesperada surpresa, o chofer que nos levaria tinha somente 16 anos e nos contou que já era taxista desde os 14. Já da para imaginar também como foi a viagem!

Bom! Chegamos vivos no albergue em uma madrugada bem fria e graças a Deus tinha vaga, mas ainda era muito cedo para fazer o check-in. Teríamos que esperar até as 11h para poder entrar ou pagar outra diária e entrar antes. Decidimos esperar e ficamos sentados em um banco de madeira no hall de entrada que ficava do lado de fora em um jardim. Nessa manhã passamos muito frio, mas ainda bem que o recepcionista tinha um coração bom e nos emprestou dois cobertores. O frio era perto dos 5 graus. Que gelo! Ficamos ali até as 9h, quando o recepcionista antecipou nossa entrada e nos deu as chaves do quarto. Foi como entrar no paraíso, um quarto quentinho e uma cama macia.

Passamos 4 dias em Morélia, visitando museus, cafés, padarias, restaurantes e apreciando a cidade, que por sinal é lindíssima e muito charmosa. Provamos muitas comidas típicas e acompanhamos também a devoção das pessoas pela Virgem de Guadalupe e a bela festa que fizeram em sua homenagem. Nos dois primeiros dias apreciamos a cidade de Morélia, com seu estilo colonial espanhol, igrejas atraentes e majestosas, cafés deliciosos e tortas magníficas. Esta cidade fica no estado de Michoacan e está localizada nas montanhas. Por este motivo tem um clima agradável durante à tarde e bem geladinho à noite. Geralmente em cidades mais frias como Morelia temos a tendência de comer mais, e foi exatamente isso que fizemos todos os dias.

Cidade colonial de Morélia

Praças de Morélia

Doces deliciosos

Uma igreja majestosa!

Além das comidas, caminhamos pelas ruas coloniais da cidade e conhecemos várias atrações turísticas, como o Museu da História de Morélia, a Casa de Morelos (um dos principais presidentes do México), o Museu Do Estado e o Museu do Doce. Fizeram este último museu porque Morélia é tradicionalmente conhecida por seus doces de ”Zamora”, uma fruta local extremamente saborosa. No museu visitamos uma antiga fábrica, conhecemos toda história do doce e até participamos de uma preparação dos famosos doces de Zamora. O modo de preparo e o aspecto do doce são bem parecidos com o nosso doce de goiaba, porém o sabor é diferente.

Imitando a arte

Museu de Morelos

Preparando o doce de Zamora

O Famoso doce de Zamora com símbolos da cidade

Depois de tanta história decidimos percorrer as praças floridas da cidade e participar da famosa festa da Virgem de Guadalupe. Vou fazer uma breve explicação sobre a Virgem de Guadalupe para que todos conheçam um pouco sobre ela. A Virgem representa para os mexicanos o mesmo que Nossa Senhora de Aparecida representa para os brasileiros.

Nossa Senhora de Guadalupe, também chamada de Virgem de Guadalupe, é  considerada pelos católicos como a padroeira da Cidade do México. A origem de tanta devoção está em sua aparição em 9 de Dezembro de 1531 em Tepeyac no noroeste da Cidade do México.  Ela apareceu para um índio da tribo Nahua chamado Juan Diego Cuauhtlatoatzin, onde relatos descrevem que uma “Senhora do Céu” apareceu para o índio, identificou-se como a mãe do verdadeiro Deus e fez crescer flores numa colina semi desértica em pleno inverno. Para comprovar a veracidade Juan deveria levar as flores para o bispo, como prova de que a Virgem havia realmente aparecido. Ele foi instruído por ela a dizer ao bispo que construísse um templo no lugar e para isso deixou sua própria imagem impressa em seu tilma, um tecido de pouca qualidade feito a partir do cacto. Normalmente o tilma deteriorar-se em 20 anos, mas esse até hoje não mostra sinais de deteriorização, ele está na Igreja de Guadalupe, na Cidade do México.

A Virgem

Os Devotos

Apreciamos de perto toda magia e encanto da festa, que estava coloridíssima e muito bem enfeitada. Percebemos que a maioria das crianças e adultos estavam vestidos de índios e índias como original Juan Diego. As crianças estavam maravilhosas. Várias pessoas estavam pagando promessa e andavam de joelhos até a igreja. Foi muito bom ter participado de perto desta festa.

O futuros devotos

Pagando promesa

Sem falar na quantidade de comida que provamos, foram: tlayudas gigantes, tacos, rodelas de cana-de-açúcar com pimenta, amendoim cozido com pimenta e limão, ponche, gorditas (uma mini panqueca bem macia), churros e muitos outros doces. O churros em especialme fez lembrar de um amiga queridíssima, Thais Berti, pois quando estudávamos juntas no SENAC nos deliciávamos com churros fritinhos na hora, bem depois de tardes e mais tardes de estudos na biblioteca!

Tlayudas

Rodelas de cana de açúcar com pimenta

Gorditas

Churros

De Morélia seguimos para Barra de Nexpa por poucos dias para encontramos com Jimmy e Bianca e escolher um lugar para passar o Natal e Ano Novo. Depois seguiríamos para a Cidade do México para buscar a mãe do Ro, minha sogrinha Teresa Villela. Ela fui para o México para passar o Natal e o Ano Novo conosco.

Aguardem mais histórias do Quintais do Mundo!!!

Até mais…

Priscila e Rodrigo

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

2 Respostas para “Morélia, México

  1. Ola viajantes, lendo os relatos sobre o México, lembrei-me de minhas viagens por lá. Sempre encontrei um povo amistoso, educado, e muito voltado ao convivio familiar, era comum ver ao domingos a familia, sempre numerosa, caminhar pelas rua em direção a alguma igreja.
    Recordo me também das comidas típica mexicanas, as sopas de nopales etc. Aproveitem cada minutos de sua viagem. Um beijo Priscila e um abraço Rodrigo. JC Direste

    • Pai,
      Você lembrou de quando esteve no México e eu lembrei de você e de suas cartas me contando tudo sobre esse país maravilhoso, quando estava exatamente nele.
      Não provei a sopa que você me falou tanto, porém, provei muitos nopales em diferentes preparos, também experimentei as comidas típicas e os doces maravilhosos.
      Lembrei mais uma vez de você quando subi nas ruinas de Tehotihuacán, as pirâmides do Sol e da Lua foram impressionantes. Faltou você e a Mãe lá.

      Saudades de vocês!!!
      Um beijo
      Pri

Deixe aqui o seu comentário sobre nossos quintais...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s